katy e a mesa

sabe quando acontece uma coisa simples que te deixa bem feliz?
vou contar. segunda-feira a noite fomos olhar uma mesa(*) pra comprar na casa de uma menina chamada kaity. ela tem os olhinhos puxados e nasceu em taiwan. vimos a mesa, eu gostei mas num achei nada demais e calculei que era pequena e cara. o paul mediu e quando chegamos em casa eu constatei que o tamanho da mesa era perfeito. alguma hora do dia ontem resolvi mandar um e-mail pra ela perguntando qual era o menor preco que ela fazia. ela respondeu e eu gostei do preco. como ela sabia que o paul ia viajar, e, ela tambem ia viajar hoje, ela se ofereceu pra me ajudar a carregar a mesa. ela mora distante duas quadras e meia daqui.
mas ai tinha um outro problema: se eu pagasse a mesa, ia ficar sem um tostao ao vivo. (ainda nao tenho cartao de banco pra tirar dindin em caixa eletronico, so cartao de credito). resultado, fiz uma proposta indecorosa pra kaity via e-mail. expliquei a situacao e propus pagar 80% ontem e na sexta-feira colocar o restante num envelope na caixa de correio dela. dai a pouco ela me liga. topou na hora.
eu fiquei tao surpresa e grata de encontrar uma pessoa assim que estava se propondo a carregar comigo uma mesa, pelo meio da rua, e ainda por cima so receber 80% do valor ja reduzido do produto.
fui na casa dela pegar a mesa. fiquei com vontade de levar alguma coisa pra esta pessoa que se mostrava tao legal e prestativa. peguei umas das minhas poucas caixinhas (tinha mania por caixas e tinha muitas em fortaleza) e coloquei na bolsa. ela ficou tao surpresa com aquele “presente” minusculo que os olhinhos dela brilharam.
a tal da mesa eh meio pesada pros bicepes femininos. mas, comecamos. paravamos a cada meio bloco. e eis que de repente, um par de bicepes masculino se ofereceu pra ajudar. aceitamos prontamente. foi curto o percurso com o adjutorio, mas ja foi uma forca. resumindo: ao chegar no edificio, caimos na real da dificuldade de subir os dois andares na escada estreita, ja com os musculos ressentidos. entao resolvi desmontar a mesa e ai foi facil. aqui chegando, ela entra e comecamos a conversar. e conversa vai, conversa vem e ela ficou por aqui mais de uma hora. ela saiu tao contente e eu fiquei mais ainda.
ah, ela me mostrou um disco na casa dela que eu nunca tinha visto antes: brazilian lulabay. “se essa rua, se essa rua fosse minha, eu mandava, eu mandava ladrilhar, com pedrinhas com pedrinhas de bilhante, so pra ver, so pra ver o meu amor passar…” num eh bom demais um negocio desse? ganhei uma amiga bem bacana. com certeza nos veremos novamente, embora ela esteja de mudando pra uma cidade meio longe daqui.
agora vou montar a mesa na sala, e levar a mesa antiga pra montar o “escritorio”. aos poucos tudo vai se ajeitando na casa nova. boa quarta pra nos!

esta eh a minha rua: park avenue. o edificio que moro eh este primeiro toldo. so sao tres apartamentos no edificio de dois andares: um no terreo e um por andar. na esquina tem um parque: church square park. bem arborizado.

este o sinatra park na beira do rio, onde fui caminhar hoje cedo. nao se compara com o hudosn river park onde eu fazia minhas caminhadas em manhattan, mas eh bem legal.

6 comentários em “katy e a mesa”

  1. Que legal, querida. Ela é brasileira?
    Lilia, tu tira uma foto da frente do prédio, onde de para ver melhor? Agora tu mora no térreo, então deve ser bem maior. Que legal, gosto tanto de ver essas coisa diferentes. Beijos.

Os comentários estão encerrados.