e domingo foi dia dos pais

maospaifilho1.jpg não pra mim, porque há mais de cinco anos que dia dos pais é todo-santo-dia.
depois que o meu pai saiu “daqui”, instalou-se definitivamente no meu coração.
pra quem ainda tem seu pai do lado, sugiro que aproveite bem muito. ame-o até o talo. mostre esse amor. seja lá de que jeito for. aceite-o. por pior que ele seja, ele teve o mérito de lhe conceber. no mínimo isso. e sugiro ainda: sinta-se grato pelo pai que tem.
pra quem não tem mais o pai do lado, que transcenda a dor da saudade e experimente a delícia de tê-lo mais perto do que antes.
“as vezes é preciso crer pra ver”.
parabéns pros pais que amam seus filhos. parabéns pros que não têm muito tempo, mas arranjam um jeito de doar-se nem que seja dando um nó de afeto no lençol do filho.
p.s. o texto é bem conhecido, daquele passados e reepassados. podem até achar piegas, mas eu acho bem bonitm :-)

Um comentário em “e domingo foi dia dos pais”

  1. Eu acho um dia triste, Lilia.
    Achei o texto lindo demais da conta, simples mais lindo. Gostaria de um dia ter recebido nós no meu lençol porque achei lindo, mas eu recebia bananas, sabe? Meu pai Pedro (padrasto-pai) sempre escondia os melhores cachos de banana para mim… Minha irmã não era muito querida com ele, coisas de adolescente revoltada, aí quando ela pedia para ele bananas (depois de casadas, nós duas), ele fingia que não tinha, ou então dava só algumas. Quando ela saía, ele me dava MUITAS. Sempre vou me lembrar disto com muito carinho, era uma agricultor, uma pessoa simples mas que reconhecia que filho é de coração, não de sangue.
    Beijos, querida.

Os comentários estão encerrados.