dando o ar da graça

image
nunca foi fácil chegar de volta aqui. sempre venho cheinha de saudades e os primeiros dias são de reajuste. dessa vez não foi diferente, mas foi muito diferente. a saudade continuava lá mas eu sentia o calor confortante da presença de vocês. é tudo que eu preciso agora, dessa certeza de ser amada. afinal tudo mais nessa vida é incerto.

na segunda-feira eu fui fazer outra biopsia no “biloto numero 2” que poderia ser malvadim também. como essa semana é o maior feriado daqui, só terei o resultado na segunda-feita. nessas alturas a melhor reza é pra que eu fique calma (uia!) porque o que é já é, e se tiver alguma mágica a fazer será daqui pra frente.
e, surpreendentemente eu tenho conseguido ficar calma por alguns momentos (acho até que devo tá ainda em choque sem acreditar. ou não, quem sabe sou mais competente fazendo drama nas coisas miúdas e quando a coisa sai do controle (glup!) me rendo e me acalmo. será?

só sei que é muito bom demais saber e sentir que tenho vocês e isso é mais da metade da cura. lembrar e relembrar dessa ruma de afeto é remédio poderoso que não tem preço até porque não se compra. eita privilégio grande.

gosto muito dessa época do ano quando o clima muda, a temperatura cai um pouco e posso ficar contemplando o fogo que me re-liga com o que importa nessa vida.
tá bom, né?! quando eu tiver novidades contarei de um tudo.

e como eu sempre dizia: comei, bebei e alegrai vossos corações porque a vida é breve!

as primeiras notícias

image

olá zamigos todos,

pois é, eu achando que mudar pra nyc ia chacoalhar a minha vida! nananina, o desafio ficou bem maior: fiz uma biopsia de um carocinho no peito e o bicho é dos malvados. pense aí, marido saindo de um emprego, mudança pra cidade imensa, viagem pro brasil no meio, amiga suzy chegando no mesmo dia da noticia e eis que vem mais pra gente dá o nome de turbilhão ou como eu mesma costumo dizer “ô putaria”.
durante 4 dias parecia que tinha vindo uma ondona ennnoooollllme que deixou a gente se embolando. e nesse embolado ficamos embraçados, lembrando que o mais importante é o verdadeiro amor. glup! :)

apesar do susto, do choque, do assombro, do caos com tanta coisa acontecendo juntomisturado, surpreendentemente tem uma calma, sabe deus de onde vem.
se não deixar o medo e o drama tomar de conta, se conseguir deixar o botão da positividade ligado na tomada, e não deixar o pensamento ir muito longe vivendo uma semana, ou quem sabe um dia a cada vez, a confiança encontra espaço e é ela que eu mais preciso agora.

o desafio é grande, mas tem uma coisa me dizendo que tem uma ordem nesse caos. (como bem lembrou uma amiga, o caos é uma ordem a decifrar – saramago). só mais tarde vou enxergar com os olhos. por enquanto só o coração sente.

hoje é o aniversário da minha mãe que eu planejei comemorar com todos juntos. os netos e bisnetos que moram noutros cantos estão todos aqui. parece natal, só que sem arvore :)

por isso tive que encurtar a viagem. a médica quer cutucar mais pra ter mais certeza dos arredores, mas tem uma cirurgia marcada pro dia 9/12 (2014).
a mudança pra nyc vai ficar suspensa por uns tempos, paul está negociando pra ver se vão topar ele trabalhar de orlando.

enquanto isso na sala de justiça, eu me lambuzo de afeto, amores dos abraços e me alimento pra curar o corpo e a alma.

não estou conseguindo lidar com perguntas porque as respostas ainda não chegaram.
estou aqui procurando ativar a humildade, reconhecer que não tenho controle de nadinha e entregar, porque o medo grande pode se tornar o maior inimigo.

vamos passear de mãos dadas pelos verdes campos, na relva, com a brisa leve tocando a pele.
o vento é uma mágica, a gente não vê, só sente e acredita nele.
assim tem outras magicas e eu acredito muito nelas.

fui deixando os dedos falarem, pra poder sair daqui dentro. há de fazer sentido.
ter amigos é TUDO. sou muito grata por ter vocês na minha vida.

fiquemos todos BEM
com sorte, coragem e afeto vai dar tudo certo!