maria das dores

image

eu acho que minha voz continua a mesma, mas o meu cabelo e todo o resto do meu corpo ainda estão aqui se reinventando.

me enganei quando pensei que ia ter uma trégua de consultas médicas. o cancer se foi, mas outras coisinhas nem tão miúdas apareceram, como por exemplo “mácula degenerativa úmida” no olho esquerdo.
(A DMRI úmida, vasos sanguíneos anormais crescem sob a mácula. Esses vasos vazam sangue e fluidos na mácula que causam danos nas células fotorreceptoras. A DMRI úmida pode progredir rapidamente e causar perda substancial da visão central.)

ano passado comecei a sentir minha vista diferente, às vezes tinha que espremer os olhos pra conseguir ler. procurei um oftalmologista que viu nos exames uma mancha na parte de trás do olho e me indicou um especialista de retina. acho que em setembro tive minha primeira consulta com o especialista. eles fizeram uma ruma de fotos com diferentes aparelhos e a conclusão foi de esperar pra ver o que acontece. voltei em novembro, fizeram mais fotos inclusive com contraste injetado e mesmo assim a recomendação foi de esperar mais 2 meses e depois mais 3 meses. e quando fui na consulta em maio veio o diagnóstico da AMD (age-related macular degeneration). aged, eu? 55 anos, pensei que ainda fosse uma mocinha. de repente me aparece essa doença que normalmente afeta pessoas com idade mais avançada.
[e diz que não tem nenhuma relação com a quimioterapia nem a droga que estou tomando (letrozol)]

fiquei passada com a notícia e mais ainda quando o médico disse que ia dar uma injeção dentro do olho e foi logo colocando umas gotas pra anestesiar. eu nem sei descrever direito como eu fiquei. quando ele voltou na sala pra botar mais umas gotas, eu sugeri tomar a injeção em outro dia porque eu estava muito nervosa. ele rebateu firme dizendo que eu já estava ali e era melhor não perder mais tempo.
e assim foi que tive uma agulha enfiada no olho. uia uia uia.
na verdade não senti a agulha entrar e é super rápido, mas fiquei zuruó depois que saí de lá. eles me deram um colírio-gel que aliviava o ardor, uma queimação, que aos poucos foi passando e consegui dormir normalmente. quando acordei no dia seguinte não senti nada anormal no olho, mas o meu juízo ficou fervendo.

a possibilidade de ficar cega de um olho (sabe deus se o outro vai ser afetado) me deixou bem vulnerável mas quando voltei um mês depois veio o alívio: a injeção estava funcionado bem e segundo o médico não perderei a vista.

talvez cada um de vocês conheça uma pessoa que tem essa doença e que toma a injeção quase todo mês e que tudo bem. amén!
eu tive uma amiga bem idosa que ficou com a vista danificada e isso era o que eu conhecia. hoje tem esses tratamentos que ajudam a estancar o processo e haverei de tomar as injeções necessárias na boa. doeu viu! mas agora já passou. _/\_

Um comentário em “maria das dores”

  1. Lilia querida, imagino o que vc deve ter passado.
    Minha mãe tem degeneração macular desde os 75, faz 15 nos que a vida dela mudou, hj com 90 a visão está muito danificada, mas é que não foi visto logo no princípio, ela tomou varias vezes em uma vista, na outra qdo. diagnosticada já não tinha mais tempo.
    Ela toma a lucentis, é a mesma sua?
    Olha a vitamina Neovite com luteína é muito boa, seu medico falou algo a respeito? Hj em dia alem de luteina ela vem tambem com zeaxantina. Vale a pena vc dar uma conferida.
    Tambem já ouvi falar na planta moringa, que aí em USA, tem em capsulas.
    Realmente vc é muito jovem para tal.
    Desejo sua melhora!
    Beijos!

Os comentários estão encerrados.