sejam bem-vindos

eh engracado quando o blog aparece no blogs of note.
ja tinha acompanhado outros blogs que la estiveram e fazia ideia do tanto de visitas que se recebe. eu, que recebia no maximo 30 visitas diarias, hoje ja vai com mais de 350. pois entao, agradecida aos que aqui passaram e sejam bem vindos os que estao chegando. mas por favor

ate agora so um infeliz se manisfestou. e espero que nao aparecam outros, mas se por acaso acontecer, deixo claro que eu mesminha nem escuto a zoada da mutuca.
da caixa postal:
Felicidade Foi realizado em Madri o Primeiro Congresso Internacional da Felicidade, e a conclusão dos congressistas foi que a felicidade só é alcançada depois dos 35 anos. Quem participou desse encontro? Psicólogos, sociólogos, artistas de circo? Não sei. Mas gostei do resultado. A maioria das pessoas, quando são questionadas sobre o assunto, dizem: “Não existe felicidade, existem apenas momentos felizes”. É o que eu pensava quando habitava a caverna dos 17 anos, para onde não voltaria nem puxada pelos cabelos. Era angústia, solidão, impasses e incertezas pra tudo quanto era lado, minimizados por um garden party de vez em quando, um campeonato de tênis, um feriadão em Garopaba. Os tais momentos felizes. Adolescente é buzinado dia e noite: tem que estudar para o vestibular, aprender inglês, usar camisinha, dizer não às drogas, não beber quando dirigir, dar satisfação aos pais, ler livros que não quer e administrar dezenas de paixões fulminantes e rompimentos. Não tem grana para ter o próprio canto, costuma deprimir-se de segunda a sexta e só se diverte aos sábados, em locais onde sempre tem fila. É o apocalipse. Felicidade, onde está você? Aqui, na casa dos 30 e sua vizinhança. Está certo que surgem umas ruguinhas, umas mechas brancas e a barriga salienta-se, mas é um preço justo para o que se ganha em troca. Pense bem: depois dos 30, você paga do próprio bolso o que come e o que veste. Vira-se no inglês, no francês, no italiano e no iídiche, e ai de quem rir do seu sotaque. Não tenta mais o suicídio quando um amor não dá certo, enjoou do cheiro da maconha, apaixonou-se por literatura, trocou sua mochila por uma Samsonite e não precisa da autorização de ninguém para assistir ao canal da Playboy. Talvez não tenha se tornado o bam-bam-bam que sonhou um dia, mas reconhece o rosto que vê no espelho, sabe de quem se trata e simpatiza com o cara. Depois que cumprimos as missões impostas no berço – ter uma profissão, casar e procriar – passamos a ser livres, a escrever nossa própria história, a valorizar nossas qualidades e ter um certo carinho por nossos defeitos. Somos os titulares de nossas decisões. A juventude faz bem para a pele, mas nunca salvou ninguém de ser careta. A maturidade, sim, permite uma certa loucura. Depois dos 35, conforme descobriram os participantes daquele congresso curioso, estamos mais aptos a dizer que infelicidade não existe, o que existe são momentos infelizes. Sai bem mais em conta.
Martha Medeiros

BON

blogofnotes.jpg
comecei a fazer esse blog assim do nada e nao imaginei como isso mudaria minha vida de vadia por aqui. e pra confessar mesmo, eu fui saber que existia blog no ano passado (e eh porque sou uma viciada em internet!).
um amigo que mora em sao paulo leu um post do danilo amaral sobre uma viagem que ele fez na epoca do outono, e me mandou o link. li aquele texto bem legal e pronto *. nem desconfiei que era um blog.
ai quando comecou a guerra, e eu queria noticias e relatos mais verdadeiros, eu descobri o que era um blog. pensei: tai, bem que eu podia fazer um negocio desses! e meus amigos la no brasil iam saber de mim todo santo dia. e comecei. mas, embora goste e seja viciada em computador, nao tenho muita paciencia para o aprendizado. eh a idade. mas enfim, peguei o sample do template e comecei a brincar de postar. menino de deus, foi assim a fome com a vontade de comer. foi o chinelo pros pes descalcos. eu gostei tanto tanto dessa brincadeira que meu namorado-quase-marido estranhou. de repente o jantar era so sopa de tomate campbell. “nao tinha mais tempo” pra pensar na janta! so queria ler blogs e mais blogs e fazer o meu proprio sem ter boas condicoes para tal.
so sei que foi e esta sendo muito bom para mim. tem sido otimo esse “chiclete” pra mastigar todo dia. e o melhor eh que sao tantos, tantos blogs interessantes para ler todo dia, que o chiclete nunca fica sem gosto.
e ai, eu saio com a amiga cearense que esta aqui em nyc. quando chego em casa e abro meus e-mails, estao la umas pessoas nunca vistas antes, fazendo comentarios. e uma delas, cita que chegou aqui atraves do “blogs of note”.
ai vai? diaboehdeiz?
quem te viu quem te ve. uma mulher que sempre esteve nos bastidores, hoje foi ao palco. e o mais interessante eh que eles nao colocaram o nome do blog que eh “vadiando”. colocaram “pixota” que faz parte do endereco, e eh meu apelido pros que me conheceram enquanto adolescendo eu estava.
entao, sejam bem vindos. aqui nada de mais encontraras alem da minha bobagem. mas saberas o que sinto. saberas onde anda doendo, ardendo e sorrindo. e pronto. eh so isso mesmo.
falo muito e escrevo pouco, apesar de agora e antes de ontem.
e eh isso. num vou mentir, gostei de ser citada la. seja la o que isto signifique. no final das contas, meus amigos quase nunca vem aqui. eles sao na maioria “tecno-burros”, ou melhor, nao se entendem tao bem com este universo maravilhoso (internet) quanto nos. as vezes eu copy/paste meu post e envio por e-mail pra eles.
e a vida eh mesmo assim. essa eh minha frase predileta entre outras tantas. “o mais importante eh que nossa emocao sobreviva”, o resto eh besteira. e besteira eh bom demais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
viva eu, viva tu e viva o rabo do tatu! vou parar por aqui antes que a proxima rima me remeta a linguagem chula :-)
* descobri depois, que o danilo morou no mesmo predio que eu aqui em nyc. eh demais ne nao?

pois ai, continuando o


pois ai, continuando o furor bloqueiro, ontem passei horas e horas tentando ajeitar/modificar uma coisas no blog. eu ate que nao me considero uma tecno-burra, mas meus conhecimentos de html sao proporcionais aos de cibernetica. ou seja, nadica de nada. ei ei. quase briguei com meu namorado. finalmente consegui resolver os problemas com os arquivos e mudei umas coisinhas.
anos atras eu pensava: se um dia arranjasse um companheiro, deveriamos morar em casas separadas. caso nao fosse possivel, que pelo menos tivessemos quartos distintos e minhas gavetas nao seriam reviradas todas as manha quando ele fosse procurar uma meia ou cuecas. delirios! hoje, estou feliz da vida morando num minusculo apartamento que nem um quarto de verdade tem. a cama eh num mezanino so com o colchao, como um beliche. e guarda-roupa, sao araras embutidas onde a criativdade eh que faz a organizacao. mas cada dia que passa me convenco de que eh imprescindivel ter DOIS computadores!!! ainda mais quando o furor se manifesta e se instala. tenho recebido novas visitas. oba! agradecida! vou amarrar a linha da pipa (no ceara, a gente chama arraia, ou raia) e vou fazer um passeio de bicicleta. quem sabe nao colho boas imagens.

furor bloqueiro


eu estava lendo esse blog e achei o nome da doenca que to tendo agora: FUROR BLOQUEIRO. menina de deus, que mundo eh esse? mundo nao, universo, isso eh infidavel. voce comeca a ler um blog e vai na lista do que aquele bloqueiro ler, e vai adicionando e vai lendo, vai rindo, vai se espantando, vai se surpreendendo, vai se divertindo e colhendo mais e mais informacao. que loucura.
passei o dia todo na frente do computador. fui na lavanderia pegar a roupa e comprar vitaminas: suco e cerveja!
o sol ja apareceu e a temperatura ta bem legal. mas a minha vontade eh continuar por aqui, nessa inesgotavel fonte. fonte de imagens, palavras, sentimentos, relatos, queixas, xurumelas e muiiiiiiiitas mumunhas mais.
tem de “um tudo”! colagem, tabuleiro solitario, amarar, babaio de siri, carta aberta, epinion, eu heim, cora ronai, tecendo ideias, rosa choque, saudades do brasil, rascunhos,e mais uma ruma!. muito legal!
soube de uma reportagem da globo sobre os blogs onde eles focaram so os diarios adolescentes. deve ter tambem, muitos. mas tenho encontrado muita coisa interessante nesse outro mundo.