the gates

thegates.jpg
“O Central Park será o centro dos acontecimentos da cidade este mês. Entre os dias 12 e 27 estará colorido de vermelho-açafrão com os 7.500 portais de vinil, náilon e aço inventados pelo artista plástico Christo e por sua mulher Jeanne-Claude, os mesmos que já embrulharam o Reichstag na Alemanha. Cerca de 75% das trilhas, caminhos e passagens estarão emoldurados pelos portões, que darão a impressão de um enorme rio colorido serpenteando pelo parque. “(Helena Celestino – Jornal o Globo)

snowflake.jpg

a semana passou, bem boazinha, lapisdecor1.jpg eu com meu lápis de cor, colorindo a vida branca-cinza do inverno. meu paul trouxe tulipas vermelhas e a papoula (hibiscus) abriu uma flor hoje de manhã.
pra não ficar blue vou me alimentando com “pequenos” prazeres.
bom feriado pros que moram no brasil.
bom fim de semana prá nós outros.

queen mary 2 – a partida

queenmaryelizabethleaving.jpg queenmaryfireworks.jpg
update
queenmarymanhattan.jpg
ainda nao eh a foto que eu queria… mas quem manda nao levar a maquina?
fomos nos ver a partida do queen mary 2 e o elizabeth 2. a burra aqui nao levou a maquina achando que ia esta muito escuro. perdi de fazer fotos incriveis do skyline de manhattan com o naviozao na frente.
tava frio pra burro, um vento insuportavel adentrando ate a alma, e nao esperamos pelo fogos. voltamos pra casa e ate agora estava procurando por fotos “desta imagem” do navio com o empire state atras. nada. so achei estas duas. talvez mais tarde… entao, uma otima semana pra nos.

sabado de compras em nyc

broadwayfila.jpg
a primavera faz nova york inteira sair da toca e eh invadida por turistas. impressionante a quantidade de gente nas ruas ontem. o sul de manhattan estava impossivel de andar. as ruas, os bares e restaurantes lotados.
nos entramos rapidinho na century 21 (uma loja de departamento em downtown que vende roupas de marcas famosas por precos mais em conta) e tava uma loucura que me fez sair correndo. na pearl river, uma loja so de produtos chineses eu ouvi mais gante falando frances que ingles.
a broadway, na altura do soho, estava um caos. esta foto eh da fila imensa pra entrar na nova bloomingdale (outra grande loja de departamento)…
decidamente a natureza errou em mim. eu nao tenho a menor paciencia pra shopping centers e lojas. e quando estao lotadas ai eh que eu nem penso em entrar. mas precisava fazer umas compras, entao nao tive como escapar.
sentamos pra almocar e descansar os pes depois de quatro horas andando!!!!!
amorperfeito.jpg
eu acho tao lindinho esses vasos com amor-pefeito.
flores pra voces com desejos de um domingo bem bom.

queen mary 2

queenmaryIIempire_3.jpg
assunto do dia em nyc: o maior navio de cruzeiro, queen mary2 chegou a nyc hoje de manha cedo.
e la fomos eu e o paul pra beira do rio ve-lo passar. como os telejornais falaram sobre isso a noite toda, tinha muita gente no parque pra ver “a rainha” passar.
estava uma cerracao forte, deixando o skyline de manhattan nebuloso. com o sol na nossa frente as fotos nao ficaram nitidas, mas valeu pelo registro.
fireboats.jpg peoplesinatraparkqueen.jpg
queenmaryIIclosere.jpg
QM2.jpgO Queen Mary 2 é o maior navio de passageiros já construído. Ele tem 345 metros de comprimento, a altura de um prédio de 23 andares, e pode levar até 2.620 passageiros.
Ele também é o navio de cruzeiro mais caro da história, com custo de cerca de US$ 928 milhões (cerca de R$ 2,6 bilhões). O Queen Mary dois tem seis restaurantes, cinco piscinas, um teatro e um cinema.
para a chegada em manhattan hoje, foi montado um imenso esquema de seguranca, talvez o maior depois dos ataques de 11 de setembro. o navio foi escoltado por varios helicopteros, uma frota de barcos da guada costeira, barcos de reboque e barcos do departamento de bombeiros, que alias faziam um lindo efeito com jatos d’agua.
eu ate tenho vontade de fazer uma viagem num navio de cruzeiro, mas este definitivamente nao eh pro meu bico :-)

bolinhasrere.jpg

ajude a “vadia” a ganhar dindin :-) clique no banner abaixo para mais informacoes.

se nao funcionar clique aqui

hospedagem em nyc

sub-titulo: ajude a vadia a ganhar dindin
dias atras eu falei que tinha arranjado um trabalhinho e que ia precisar da ajuda de voces. aqui estou pra explicar como eh esse negocio:
encontrei um amigo, cearense, cineasta (ele fez aquele filme Madame Sata), que mora ha muitos anos em nyc. na verdade ele vive pra-la-e-pra-ca, entre brasil, paris e nyc (chic ne?). desta vez ele ficara ausente de nyc uns 8 meses, e decidiu alugar o apartamento onde mora (no soho) para temporadas breves. mas, ele nao quer alugar pra alguem que nao tenha uma referencia, e por isso que vou ter virar uma “spamer camarada”.
entao, se voces conhecerem alguem (parentes, amigo, amigo-do-amigo), procurando hospedagem em nyc, a partir do dia 15 de junho, eh so falar comigo
a vantagem de se hospedar em um apto, alem de ser mais barato do que um hotel (pode ate encontrar mais barato, mas vai ser em bairros distantes e/ou dividindo banheiro com outros hospedes), eh que voce economiza bastante fazendo algumas refeicoes em casa. comer fora em nyc, se nao for nos mcdonalds da vida, eh muito caro.
alem disso, ainda pode contar comigo pra muitas dicas sobre a cidade :-)
entao meus amigos, este banner vai ficar algum tempo em todos os meus posts, foi o “marketing” que encontrei pra divulgar este servico.
agradeco antecipadamente e me desculpo por usar este espaco “vadio” para coisas de trabalho :-)

clique no banner para mais informacoes.
agradecimento especial a briba design que gentilmente fez o banner e a pagina de informacoes :-)

consegui juntar 3 fotos

consegui juntar 3 fotos que fiz hoje durante uma caminhada ao norte de hoboken, em weehawken. depois eu conto e mostro mais fotos. amanha bem cedo estou indo pra nyc, trabalhar um pouquinho. eh raro, mas acontece. terca-feira colocarei minhas atividades blogueiras em dia. o fim de semana foi pra atualizar outras coisas :)) vai aqui o desejo de uma otima semana pra todos nos.

a farra ontem foi grande

a farra ontem foi grande e boa. nao eh nada comum na minha rotina sair de casa cedo da tarde e so voltar tarde da noite. mas assim foi. saimos andando daqui de casa atravessando tribeca ate o world finacial center, pelo hudson river park. paramos na marina onde tem um restaurante e por la tomamos a primeira cerveja. ground zero, compras na century 21 e dai fomos esperar o paul sair do trabalho no south street seaport. mais uma cerveja e fomos na arthur’s tavern, um bar antigo (1937), no west village, pequeno, com jazz ao vivo de qualidade impecavel. uma voz feminina suave e ao mesmo tempo forte, acompanhada de violao e um trombone de vara. so isso e tudo isso pra encher nossos ouvidos de prazer. mais cervejas foram tomadas e a fome bateu. lembrei de um bar historico bem proximo de onde estavamos e sugeri irmos so mostrar o local: chumley’s
.
voce passa na frente e nao sabe que ali eh um bar. nao tem placa, nada, so esta porta com o numero 86. eh um bar da epoca da ‘lei seca” por aqui (1922), speakeasy eh nome que eles deram pra estes lugares onde os intelectuais e boemios iam beber escondidos da lei que proibia a fabricacao e venda de bebida alcoolica. o lugar eh muito interessante: tem varias portas disfarcadas por onde os clientes saiam quando a policia chegava. as paredes sao lotadas de capas de livros e de fotos dos escritores que por la iam escrever suas obras. entre muitos outros escritores famosos, simone de beauvoir escreveu por la o livro ” america day by day”. se quiserem ver a longa lista dos frequentarores, eh so ir no link acima. os amigos visitantes adororam o local e resolvemos jantar por la mesmo. o amigo visitante, paulao. como disse ontem, eh marido de uma grande amiga cearense que o coracao levou pra sao paulo muitos anos atras. ele eh uma figura, jornalista, gordo, amante das coisas boa da vida, ex-comunista, muito envolvido com com politica pelas herancas familiares. amante de nyc, ja veio por aqui inumeras vezes e nunca tinha ido nestes bares que fomos ontem e eu fiquei me sentido a propria guia-turistica-alternativa *risos* ano passado, eu aqui ja em nyc, recebo por e-mail um cronica do mario prata. comecei a ler e disse, pera ai, eu conheco essas pessoas que ele ta falando. pois a cronica falava exatamente do paulao. eh bem divertida, se tiverem saco leiam.

imagens do domingo


todo fim de semana tem essa feira de artes na minha rua, west broadway

gigantes outdoors na hudson street, este da dkny eh uma pintura na parede do predio

depois da coneferencia-internacional via internet, que foi muito legal, saimos pra encher a rua perna. fomos comprar umas besteiras pra mandar pro brasil pela cearense que ainda esta por aqui. andamos broadway acima e voltamos pela washington square park que, aos domingos sempre tem artistas de ruas mostrando seus “talentos”: musicos tocando desprentiosamente, outros nem tanto, shows de humor e muita gente ao redor assitindo. ou simplesmente sentados ao redor da fonte, que este ano esta funcionando. ano passado teve racionamento de agua por aqui, e todas as fontes das pracas estavam desligadas.

to querendo achar que este tenha sido o ultimo fim de semana morando aqui. oh que coisa chata eh nao saber ainda quando a gente se muda. eu sou uma pessoa completamente “programada” e to impaciente com isso. talvez os inquilos do apto onde vamos morar estejam na mesma situacao da gente, esperando uma data certa preles mudarem tambem. o fato eh que fico aqui querendo empacotar as coisas e cancelar/solicitar telefone, tv a cabo, internet, e nao posso por nao saber o dia da mudanca. bom, sao as coisinhas miudas da vida que enchem o saco, mas tambem nao ofedem tanto assim. eh so uma questao de controlar a ansiedade e esperar um pouco mais. e por hoje eh so. fica aqui o desejo de uma boa semana pra nos.

chinatown


eu gosto muito do ambiente de mercado. aquela desorganizacao, cheiros misturados. por isso adoro andar por chinatown. as ruas secundarias sao cheias dessas lojas de comida: algas, graos, peixes salgados, lfrutos do mar e peixes “frescos”, legumes, frutas e verduras. como a comunidade eh imensa, eles podem conservar todos os habitos alimentares, diferente de mim que morro de vontade de comer um baiao de dois com pacoca e num posso :-) ontem. depois de passar quase o dia todo preenchendo os formularios pra enviar pra imigracao fomos andar por la. uma coisa curiosa: apesar do grande numero de restaurantes com comida oriental (china, tailandia, vietinan, malasia,etc), somente 1 restautante tem mesas na calcada. ai esta uma oportunidade de negocio: abra um restaurante em chinatown com mesas do lado de fora. eu, todos os fumantes e apreciadores do ar fresco (nao serao poucos, garanto!) iremos agradecer!

I LOVE NY


o ultimo post do danilo antes de voltar pro brasil me emocionou demais! ele fala de nyc de um jeito que quem mora aqui, se identifica completamente.
logo que cheguei aqui, tive exatamente essa sensacao, de que eu ja fazia parte deste lugar. eh como se a cidade nao desse a minima pra voce, ela nao faz cerimonia, nao quer saber de onde voce vem, ou o que voce eh. eh tipo “fique a vontade” porque aqui eh a cidade do mundo.
aqui voce escuta o povo falando outras linguas a cada momento. a cada quadra que voce anda pode ouvir espanhol, italiano, chines, arabe, frances, e ate uma bodega de portugues tenho na minha esquina onde vou todos os dias comprar minha cerveja, e posso falar portugues quando o sr. joaquim eh quem esta no caixa.
ja morei em paris e, embora sempre diga que me sinto em casa, a cidade nao te acolhe deste jeito. no meu caso, eu que acolhi aquela cidade. nyc nao tem ranco. sao tantos diferentes povos vivendo na mesma cidade, que ninguem olha pra voce com julgamentos. a pressa e o desinteresse pela sua vida faz com que a gente se sinta confortavel a cada esquina. vou copiar um trecho do que ele escreveu mas voce pode ler na integra pelo link acima.
…”Pois Nova York não pertence a ninguém. Pertence a todos nós. É a única cidade do mundo em que cada indivíduo que pra aqui vem logo logo se sente dono do lugar. Não daqueles donos que mandam e desmandam. Não senhor. A titularidade sobre a cidade é mais como um acionista da empresa. Por menor que seja sua quota, você se sente também um proprietário. Não acontece com nenhuma outra cidade. Por mais que você se sinta à vontade em Paris, Roma, no Rio ou em Buenos Aires, você é e sempre será um estrangeiro. Quando o habitante local perder todos os argumentos, vai baixar o nível e te negar a propriedade sobre a cidade, fazendo referências a sua origem. Você é um alienígena e não pertence àquele lugar. Paris é dos parisienses. Roma pertence àquele sujeito romano. O Rio é intestinalmente dos cariocas. Buenos Aires, então, é quase de outro planeta, habitada por seres argentinos. Não com Nova York. Nova York é dos italianos, é dos judeus russos e poloneses, é dos irlandeses e também de todos os chineses. Mas é também dos brasileiros e dos colombianos. E, acreditem, até dos franceses é. Nova York também é dos americanos. …Há dois anos era um pouco diferente. Tinha lá aquelas duas torres que vi numa manhã cair. E o presenciar daquele momento me aproximou ainda mais da cidade. Pois a experiência humana só se completa quando, a despeito dos confetes e taças de champagne, é cavada na dor pela perda. Nova York foi violentada. …Guardarei pra sempre a lembrança do som de Gershin e Sinatra, que tinham charme adicional com a introdução da voz aveludada de Jonhattan Schwartz em seu programa de rádio. Como disse um amigo meu certa vez, “Ouvir Sinatra em Nova York é diferente”. Terei muita, terríveis saudades, das caminhadas a pé e da visão dos seus habitantes. …A canção tinha razão, New York, definitivamente, é “a state of mind”