que chic

enquanto eu trabalhava na minha mudanca, recebo um artigo do jornal “o povo”, escaneado, via e-mail: lilia acontecendo nos jornais. crente que abafa *risos*

clique na foto se quiser ler o artigo!
acabei de fazer uma foto da bagunca que esta casa se encontra. o cabo da camera esta muito bem empacotado. entao amanha, quando conseguir sentar na casa nova, postarei. bom sabado pra todos nos.

ressaca boa

o post de hoje foi sem palavras tao somente porque a cabeca estava fora do ar. muitas foram as emocoes, ansiedades e bebidas. junte tudo e imagine como foi o despertar. e foi tudo do nosso jeito, ou seja, sem muito jeito. embora tenha passado a vida planejando, organizando e produzindo eventos, este casamento nao teve nada disso.
na noite da quarta saimos pra comprar as aliancas e eu nao tinha um vestido pra vestir no dia seguinte. procurei achar alguma coisa a tarde, e nao achei nada que eu gostasse ou que coubesse nesse corpo miudo. fomos a canal street (esta rua eh a rua dos produtos falsificados e cheia de lojas com produtos chineses) que fica bem proximo de casa. e na loja ao lado da joalheria achei esse vestido branco chines que coube perfeitamente, o que eh rarissimo de acontecer.
talvez por nao termos muitos amigos por aqui, so alguns conhecidos e colegas do trabalho do paul, e tambem pela idade, nao planejamos este evento como normalmente se faz. mas foi tudo de bom.
estavamos e estamos bem feliz. se a imigracao deixar, em dezembro faremos nossa festa de casamento em fortaleza ao lado da minha familia e amigos. amanha mudo de assunto, ta?
quero agradecer de verdade a quem me veio com desejos sinceros! mas agora preciso dormir. inte manha!

eh hoje o dia, da alegria…


os sintomas de nervoso estao claros: ta dando um friozinho na barriga. o coracao ta batendo mais forte. normal, mesmo pra quem passou a vida dizendo que isso nao tem importancia, e que eh so uma formalizacao. nao vou me enganar. eh um dia importante cheio de significados. a saudade de todos os meus afetos ta imensa. queria te-los todos aqui comigo, comemorando a realizacao desse desejo. meu filhote devia estar aqui pra testemunhar o “surrealismo”, que na verdade de surreal nao tem nada.
como disse no post anterior, desejei muito encontrar um companheiro e sou uma prova de que nossos desejos, se legitimos, tem poder. agradeco aqui a forca de todos os amigos que torceram pela minha felicidade: mae, gerardo, passei, vanda, cacazita, julia, manoela, paulinha, pepe e ge neto, clarissa, virginia, regina, helena, clarisse, nega, marcinha, meu chico, nana, be, suzy, juninho, giovanni, aninha, medina, flor, herminia, solange, tania, augusto, nagia, liege, claudio, graca, toinho, teti, rosinha, ana lucia, andre, leo, mayuri, claudinha, diana, germana, marcelo, alex, marco antonio, etelvira, isabele, ricardo, henrique, dilma, dita, viviani, inara, marisa. e a todos os novos amigos “virtuais” que me visitam e manifestam carinho atraves deste blog. agradecimentos especiais ao bruno, meu filho querido, e ao meu pai, que mesmo estando noutra dimensao, tem estado muito presente me protegendo neste novo caminho.
update: claro que esqueci alguns nomes na loucura da ansiedade. mas agora ja corregi o lapso! brigadoooooooooooooo todos os e-mails e comentarios maravilhosos!!!

quem diria


este eh um dos predios da prefeitura de nyc. eh bem antigo e enorme. e la fomos nos hoje cedo pedir a “marriage license”. licenca pra casar. a partir de amanha, o casamento esta autorizado.
quem diria que a pixota um dia casaria :)
vivi muito tempo sozinha. eu era(?) tao insuportavel que nao tinha homem que me aguentasse. um dos namorados que eu tive me chamava de general, um outro de napoleao. dai voces imaginam o tanto que essa pequena mulher era(?) mandona e briguenta, e arengueira. eu sempre digo que “mulher chata” eh pleonasmo. (outros pleonasmos = homem fraco, mulher complicada, homem egoista). mas eu era demais da conta. acho ate que, inconscientemente, era pra afastar mesmo. nunca antes tinha desejado de verdade ter um companheiro.
um dia, este desejo apareceu e eu comecei um lento processo de mudanca. logico, se nao mudasse, nao teria jeito de alguem querer ficar comigo. o meu jeitao ate atraia: mulher determinada, independente, “resolvida”, sem papa na lingua. mas quando comecava a conviver, aquela fase do “de perto ninguem eh normal”, eles diziam: tai, vamos mais nao!
depois da morte do meu pai, o desejo aumentou muito e as mudancas ja podiam ser constatadas nas atitudes e no visual mais feminino. saias, vestidinhos, saltinho plataforma, brinquinhos e muitos outros “inhos” passaram a fazer parte. se a hebe me visse hoje era capaz de dizer que eu sou uma gracinha!
e aqui estou eu, vivendo com o paul ha um ano e meio, o que pra mim ja significa estar casada. mas, pra ficar neste pais, eh preciso legalizar esta uniao.
antes de entrar no predio da prefeitura, eu perguntei mais uma vez: “paul, are you sure???” hahaha. com certeza ou sem certeza, casados de papel e tudo estaremos nos.
e quer saber mais? to bem feliz. e que minha alegria respingue em voces! e pra comprovar as palavras acima, colo aqui a conversa com o meu filho, no icq, hoje a tarde:
Lilia (2:03 PM) : entao ta filhao. ei… diz o que tu pensa da TUA MAE SE CASAR!!!!!!!!!!!
Bruno (2:03 PM) : surreal