finde

ontem acordei meio abusada e fui logo lendo noticias e postando. hoje o dia amanheceu maravilhoso, ceu azul e 18 graus cedo da manha. maravilha. fizemos nossa caminhada no beira-rio e aqui estou cheia de energia, e atrasada vou falar do fim de semana.
sexta sentei numa mesa na calcada de um bar/restaurante em tribeca. ia esperar o paul. o garcom veio no momento que eu acendia um cigarro e foi logo me dizendo que nao era permitido fumar ali. e eu questionei: mas aqui? do lado de fora, na calcada? e ele confirmou a proibicao. thanks. me levantei e fui procurar outro lugar. quem manda ser fumante, ne? cada dia que passa ta mais dificil exercer este prazer compulsivo, que eu tanto gosto, fora de casa. vou acabar indo morar na franca, que tambem gosto muito, e ainda nao se faz tanto terrorismo com os fumantes por la.
sabado. chovendo. o jeito eh ser feliz dentro de casa. brincar de fazer comidinha eh bom demais.

ummmmm. tira gosto: queijo brie, morangos, tomate seco, pao italiano e camarao no alho e azeite. almoco: camarao no leite de coco com pimenta e manga!
domingo. cranford, new jersey. uma amiga francesa mora por la e fomos visita-la. olha que lugar bonitinho onde ela mora:

cranford e westfield, new jersey.
eu moraria em um lugar assim, pequeno e calmo sem problema. alias, eu dizia que se me mudasse de fortaleza seria pra uma cidade menor. olha onde eu vim parar. o problema de morar “no interior” por aqui eh que tem muito americano (risos).
westfield eh uma cidade bem pequena, o centro nao tem mais que 4 quadras, mas voce encontra gap, express, starbucks, victoria secrets, etc. o engracaddo eh alguns restaurantes, dos poucos que tem, nao vendem bebida alcoolica, pode? entao voce passa numa loja de bebida, compra seu vinho e leva pro restaurante. vai entender esse povo!!!

marco island

estupida. burra. imbecil. foi assim que eu me senti ontem noite.
cometi um erro irrepavarel. perdi umas 20 fotos. perdi o bom humor, e muitas ilustracoes pro blog. agora vou ter que falar mais.
pegamos a estrada sexta a tarde em direcao a marco island. o tempo tava bem fechado e pegamos chuva forte no caminho. chegamos no final dia e por la o tempo tava bem legal.
a casa. a casa nao era bem uma casa. mas sim um apartamento de frente pro canal. ninguem mais por la. parecia um lugar fantasma. tiramos a bagagem do carro e fomos procurar um supermercado. fizemos as compras e voltamos.
a ilha. o lugar eh bem bonito. muita agua. mas pros meus padroes eh estranho. nao tem uma cidade. eh um lugar cheio de hoteis, condominios e belas mansoes e os proprietarios sao na maioria moradores na parte fria do pais. no inverno deve ser um inferno de branquelos por todo canto.
canalbig.jpg
os canais. eh muito legal (nao sei ate que ponto eh legal pro meio-ambiente) o que eles fazem por aqui nessas ilhas. a maioria das casas e condominios sao construidos a beira dos canais. possibilita assim as pessoas terem barcos e bela paisagem.
a praia. tirei uma foto bem interessante (que estava no bloco das perdidas) do aviso na entrada da praia. nao pode nada!!! so falta dizer assim: proibido se divertir!!!! as pessoas vao pra praia com uma bagagem imensa: cadeiras, barraca de sol, comida e bebida. porque na praia nao tem nada alem da areia e o mar. ai que saudade da minha praia do futuro cheia de barracas. a unica semelhanca com “a minha praia” era o sol que ardia na pela e o mar bem quentinho.
fauna. como tem passaros! muito legal. muitas gaivotas na praia. aguias voavam perto de casa. uma pousou num coqueiro e por la ficou muito tempo. um lindo cardeal nos visitou rapidamente. lindo! aquele vermelho encheu meus olhos. tem muitos passaros que, penso eu, seja da mesma familia dos pardais. eles sao enxeridos e o canto eh tao estridente quanto os pardais. e nao se sentem intimidados com nossa presenca. encontrei esse black bird quando paseavamos pela regiao das mansoes.
um aviso no canal dizia que havia peixe-boi na aerea. conseguimos ver uma unica vez. e para nossa surpresa vimos um golfinho pelo canal em frente a casa. mas do jeito que veio, foi-se. fez umas aparicoes rapidas e voltou pro mar.
seagulls.jpg
flora. muitas palmeiras e coqueiros. as flores sao papoulas, bouganvilles e uma vermelhinhas que nao sei o nome. todas as casas, edificios e hoteis tem lindos gramados com flores. a avenida principal tambem tem um canteiro verde florido. que alias, amanheceu no domigo cheio de bandeiras dos usa. impressionantes, centenas delas enviadas na grama. comemoracao do feriado “memorial day”, em memorias aos soldados herois que vao pras guerras que eles inventam.
juro que tinhas todas essas fotos pra mostrar. mas fica ai por conta da imaginacao.
e assim a viagem valeu. so o fato de estar num clima quente ja eh tudo pra quem nao aguenta mais frio. vestir roupas leves, shorts, e sandalias com os dedos de fora eh bom demais.
mansoes de marco island

grrrrrrrrrrrrrrr


juro que nao mexi na foto acima. eh assim mesmo que o tempo ta por aqui. sem chance de mudar minha cor por enquanto.
esses 2 dias foram tao besta, tao besta, que eu to meio abestada. mistura de tempo-ruim-em-balneario-americano com tpm. chatura pura. mas ja ja a gente pega a estrada e muda de paisagem.

ai que raiva!

olha ai que sacanagem que fizeram com a xepa (a xepa sou eu mesma!!!)

antes de chegar no hotel passamos num supermercado e compramos cerveja, suco, fruta, iogurte. ao chegar no quarto, procuramos o frigobar e achamos isso ai acima. sacanagem. e tem mais, abriu uma gavetinha dessa, pagou. nao interessa se consumiu. sabe aquela coisa: tudo que faltar a gente inventa? assim o cesto de lixo virou “conservadora”.

da janela do hotel.


da janela do hotel.
e por falar em janela, porque eh que aqui as janelas dos quartos nao abrem heim??? eu que adoro escancarar uma janela! menino, ate aqui, que o clima eh tropical, a janela abre assim 15 cm e ainda abre na vertical. eu heim. e tem mais, o ar-condicionado eh um gelo.
eu nao gosto de ar-condicionado de jeito nenhum e ainda mais tendo tido tanto tempo de clima frio, quero mais eh suar. ontem a noite, fomos jantar e, logico, coloquei um vestido de alcinha. pois enquanto esperava o elevador na ida e na volta, fiquei me encolhendo de frio.
bom, vou pra praia ta?

la vou eu. de novo

as vezes a gente passa um tempao sem viajar e de repente duas viagens em uma semana!!! coisas da vida. oportunidades.
nao tem nada que me de mais prazer do que viajar. sempre foi assim e continua assim. tirando os prazeres com os afetos, viajar eh o que faz minha vida vibrar. nao sendo pra terezina, ou pro ira, estou pronta!
estou aqui, igual a menino pequeno, querendo fazer as malas e esperar a hora de partir. eh muito bom, ne nao?? eu acho, bom demais! vamos amanha pra florida. ficaremos dois dias em miami, e o fim de semana (que tem feriado na segunda) numa casa de praia em um lugar chamado marco island. nao vejo a hora de botar um biquini e tomar um banho de mar.

washington d.c


aqui estou de volta e vou fazer a reportagem completa das 24 horas na capital dos usa. washington d.c. (d.c. = district of columbia, como brasilia eh o distrito federal).
ainda dentro do taxi, indo para o aeroporto o paul me diz que, depois dos atentados, nao eh permitido aos passageiros dos voos NYC-WAS / WAS-NYC, se levantar da cadeira durante todo o voo. ainda bem que sao so 70 minutos. mas eu achei que fosse brincadeira dele. mas num eh nao. quando a gente vai entrando no aviao, um comissario de bordo avisa a nova norma, e sugere a ida ao banheiro antes que o aviao decole, porque depois disso, fica teminantemente proibido levantar da cadeira. diabo eh quem toma cerveja num voo desse. e se voce for daqueles que, literalmente, se cagam de medo de voar, melhor ir de trem.
washington. a cidade eh tao verde. incrivel como tem parques e parques arborizados. no caminho do aeroporto pro hotel a gente passa por um grande parque que beira o rio Pitomac, com arvores imensas e velhas. bonito que so.
hotel. botar a fantasia e fazer a producao para ir ao jantar.
jantar. bem menos chato do que eu imaginei. a embaixada da russia eh um caixote de concreto rodeada de jardins. dentro, sobe-se uma escada pra chegar ao salao.
o salao: seis enormes lustres de cristal no teto. mais doze menores nas paredes. vinte e sete mesas redondas com oito, dez ou doze lugares. algumas com candelabros, outras so flores. (ando me sentindo a propria reporter!) homens de smokings e mulheres de longos. todas as idades, mas prevalecendo pessoas nascidas dos anos 50 pra traz. grupo musical russo, com instrumentos de corda que nao sei os nomes exatos. acho que tocaram a musica do filme dr. jivago.
nossa mesa: uma senhora dos seus 60-e-tantos anos ao meu lado, simpatica e curiosa. apesar de contar que perdeu o unico filho e o marido, falava pelos cotovelos e com alegria no rosto. uma outra senhora da mesma faixa etaria, animada que so pinto em bosta. foi quem teve a iniciativa de trocar de cadeira pra que eu e o paul sentassemos vizinhos. me puxou pela mao e me levou pra ver os musicos de perto, maravilhada com a musica e com aqueles instrumentos.
nos poucos eventos sociais em que estive com o paul, sempre rola o papo da sobrevivencia nos atentados de 11/09/2001. o assunto eh recorrente. as perguntas “onde voce mora?” e “o que voce faz” sempre levam ao WTC. as pessoas ficam impressionadas de estarem diante de um sobrevivente. elas gostam de ouvir e ele precisa contar. eu do meu jeito sutil, mudo o assunto quando vejo que a xurumela vai se prolongar. porque ja basta, ne?
e ai discursos. homenagens. bla, bla, bla. ah, o jantar beneficente, era em beneficio de uma ong que trabalha com deficientes visuais. bebe-se e come-se bem, apesar dos pratos serem dourados ao redor. a comida era bem light. entrada: salada de alface com nozes e queijo gorgonzola, e um creme verde servido frio em uma xicara de cafe. prato: camaroes (dois!) e frango, acompanhdo de aspargus brancos e verdes, pimenta, e um bolinho de milho adocicado que bateu bem com a pimenta.
antes da sobre-mesa, o microfone volta a ser usado pra mais bla. bla, bla. Roger Mudd, famoso jornalista (The History Channel, NBC, CBS), fez um discurso descontraido e engracado. cafe.
“paaauuuuuul, vamo embora!” fomos, eu, paul, tony (socio do paul) e janett (uma menina bem legal que acompanhou tony) beber a ultima em um bar vizinho do hotel. e pra adormecer num demorou nada! cervejas, vinhos e champagne deixa o juizo meio frouxo.
sabado a tarde, depois de um almoco com o cliente e a mulher dele na cidade vizinha, Alexandria (ja no estado de virginia), fomos visitar o museu National Gallery of Art.

eh um complexo imenso. precisariamos de pelo menos cinco horas pra visitar todas as salas. em duas horas visitamos duas exposicoes no predio oeste

Frederic Remington (1861-1909)

fiquei impressionada com a luz desses quadros. fantastico! nao eh permitido fotografar a exposicao, peguei as fotos aqui.

Ludwig Kirchner
(1880-1938)
tentei uma ruma de vezes colocar fotos desta esposicao, e perdi a paciencia!
predio leste

e pronto. andamos ate o hotel. pegamos as bolsas e fomos pro aeroporto. se o tempo nao tivesse tao ruim, teriamos ficado ate hoje. mas de ceu cinza, chuva e frio eu ja to que nao aguento mais.

la fui eu …


pra cidade da casa branca, washignton d.c. la fui eu pra um jantar beneficente.
ouch! compromissos sociais nao parecem nada comigo. escapei deles a vida toda. desta vez nao teve jeito. o paul nem escutou a “zoada da mutuca”. entao, la fui eu … fazer papel de mocinha comportada. a vida eh mesmo assim. tem dessas. haverei de me divertir de alguma forma. e tem o sabado pra visitar os museus bacanas que tem por la. entao, la fui eu. volto ja. anyway, o previsao do tempo por la eh de chuva hoje a noite e amanha pela manha. ah primavera @#$!*&^%!!!!!!!