liberdade

é o meu sentimento atual.
depois de algum tempo sem vadiar de verdade, encontro em dois blogs – na helô e na graziela – o mesmo poema, de fernando pessoa. já que ele estava me seguindo, ei-lo:
liberdadefernandopessoa.jpg
Liberdade
Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa…
Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.
Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!
Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.
E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca…
[foto: peguei daqui]

7 comentários em “liberdade”

  1. Esse poema é o que há… e como comentei lá na Helô, escolher é a liberdade. E viva a sua liberdade… tô doidinha que chegue dezembro pra ir te ver lá em Cumbica e te dar um abração! Muitos beijos !

  2. Obrigada pela citação, amiga. Eu não posso ficar lendo muito este poema, senão largo tudo e vou viver de brisa. Mas que eu ando com vontade, ah, isso ando! Beijão.

Os comentários estão encerrados.