atendimento “desumano”

nursesdoctors.jpg
“Os americanos têm uma das melhores medicinas do mundo para quem é muito rico ou muito pobre, porque o governo paga a conta. Para quem está no meio, ela pode quebrar o doente.Uma família de três pessoas, como a minha, paga US$ 1,2 mil por mês por um plano de saúde razoável. Cada visita ao médico custa só US$ 20, mas dependendo do remédio, pagamos até US$ 50 por cada renovação da receita.”
achei esta cronica do lucas mendes na bbcbrasil, e resolvi falar sobre minha experiência com a medicina por aqui.
até o início deste ano, eu mantive meu plano de saúde no brasil e fazia meus check-up/prevenções por lá. achava melhor, porque já conhecia e confiava nos meus médicos e assim fazia.
mas, as granas rarearam e eu também precisava “assumir” que moro aqui, né?
então fui na médica-clínica-geral do paul (aqui a gente sempre vai primeiro nesse médico(a) que eles chamam de “primary doctor”, e ele é quem avalia e lhe indica um especialista, se for o caso), que trabalha numa clinica imensa que tem todo tipo de especialidade e laboratórios.
a impressão que eu tenho quando vou numa consulta, é de estar no setor de linha de produção de uma indústria. eu até gostei da doutora-cirurgiã (a que fez a aspiração dos nódulos nos seios) e da doutora-ginecologista, mas o atendimento é sempre do mesmo jeito: depois da burocracia na recepção, voce é chamado por uma nurse (a tradução é enfermeira, mas não estou certa se são enfermeira de mesmo) que lhe encaminha pro consultório. lá ela mede, pesa, tira pressão e faz um monte de pergunta e vai anotando na ficha. lhe orienta o “tirar a roupa” (dependendo da especialidade, claro) e sai, dizendo pra aguardar o médico.
quando ele chega o paciente já está prontinho. ele lê o que a assitente anotou e faz mais algumas perguntas. eu, faladeira do jeito que sou, fico engolindo palavras porque o dr. num quer se prolongar muito não. o negócio é tão “agoniado” de um jeito, que toda vez eu esqueço de falar algo importante.
mas continuando… examina e ai fala par voce se vestir e mais uma vez pede pra aguardar um pouco. quer dizer, num pode ficar ali esperando ou mesmo conversando com o paciente, enquanto troca a roupa atrás da cortina? não, não pode. não-posso-parar-se-paro-ganho-menos-dindin. eu heim rosa.
eu juro, num é carência não. nem de médico eu gosto, mas já que precisa ir, pois que não me trate como se tivesse apertando parafuso.
ora, quem tem que fazer todas as perguntas é o médico, pra sentir como eu estou, o que ta me agoniando ou não.
enfim, pra acabar com esse post- que parece uma ladainha: nunca mais na vida eu reclamo do atendimento médico no brasil (tou falando pra quem tem plano de saúde). e, vou cuidar muito da minha saúde, porque se um dia eu ficar doente, num vai ser aqui que eu vou me tratar de jeito nenhum.
SAÚDE!!!!

15 comentários em “atendimento “desumano””

  1. Muitos brasileiros fantasiam os Estados Unidos, Seguro Medico é uma fortuna, para quem não trabalha numa grande empresa, o negocio é rezar para não desfalecer…
    beijos
    ja sofri na pele, esse dilema

  2. Diga “trinta e tres vezes” que não vais precisar deles… A mente é forte!! Mesmo qdo mente… hahahaha. Adorei o “eu hein, Rosa?”. Me sinto uma dinossaura ao pronunciar a expressão e lembrar da música. Buááá, ninguém me entende! E olha que o meu jogo nem é na retranca porque não jogo. Ou quase! Nestas últimas semanas, se dependesse da vontade só, jogava uns pratos e panelas, a la voadores, nuns que outros… Um abraçuu, amiga, e força aí! (Que de pequena só temos o tamanho mesmo… grrr)

  3. Oi Lilia,
    Assim… o sistema de saúde aqui do Canada é bem parecido… mas gratuito…
    Eu não gosto muito de ir ao médico, pois parece que todo mundo esta com pressa e que vc é um cobaia…. triste isso, né? E outra exame ginicológico eu preferiria fazer numa gineca e não no médico de família… acho isso um saco!!!
    Mas beleza… vou ter filho e cia por aqui… não posso me desesperar muito.
    bjs

  4. Mas aqui no Brasil, pelo menos no Rio de Janeiro não está diferente não. Nos planos de saúde o atendimento está ficando igual ao do INSS de antigamente vc marcava consulta, esperava uma pequena fila para o atendimento e durava 5 minutos na sala do médico. Aqui agora está assim.

  5. Pois é, querida.
    Mas não sei, andei levando umas “corridas” de consultórios, que não querem atender pale unimedo, ou que atendem, mas só daqui há um mês, há alguns dias.. Mas se pagar na hora, tem vaga para no máximo no outro dia…
    Desejo-te saúde e paz, Lilia.
    Beijos.

  6. Será que em algum pais desse mundão de meu Deus tem uma assistência médica legal? No Brasil saúde pública não existe e pelo que você escreveu a paga americana também não é boa coisa. É por isso que gosto da medicina chinesa. Beijos.

  7. Oi Lilia
    Muito bom o seu post. Voce conseguiu descrever com perfeicao o atendimento medico daqui. Eu tb nunca mais reclamo de medico no Brasil, so de um gastro que fui em SP que mais parecia medico americano e no final eu mesma acabei dando o meu diagnostico para ele.
    Aqui a gente tem mesmo e que rezar para ter boa saude.
    Bjs e saude!

  8. Oi Lilia, tudo bem? A minha primeira e única experiencia com a medicina americana não foi das melhores não: sofri um acidente num dos parques das Disney em 1996. Tive que recorrer a um médico por que a dor na clavicula era enorme (devia ter deixado chamar 911 como eles queriam mas não sabia se cobrariam).Como tinha seguro de viagem, tudo foi sem gasto mas o atendimento foi assim mesmo e no final não diagnosticaram que eu tinha quebrado a clavícula (só descobri no Brasil)Passaram um antinflamatório que foi uma fortuna, isso eu tive que pagar.

  9. Afii Lilia… Espero que tão logo você não precise de um médico, a não ser para fazer os check ups anuais.
    Graças a Deus eu não precisei de um doutor quando estava aí porque sabia que ia fazer bico e tromba ao me deparar com os tais… Aliás, sorte a dos doutores americanos que não tiveram o desprevilégio de me atender! hehehe…
    Beijocas

  10. Pois é, mesmo a gente ganhando 30 reais por consulta, tratamos bem melhor os nossos pacientes, que acham que recebemos de acordo com o que pagam mensalmente de plano de saúde.
    Eu, como paciente, pago uma fortuna!
    Um beijo e saúde! A todos nós!

Os comentários estão encerrados.